Entre adesão parcial e crítica ao positivismo jurídico

A teoria e filosofia do direito em Tobias Barreto de Menezes

Autores

  • Alberto de Moraes Papaléo Paes UNAMA

DOI:

https://doi.org/10.29327/238407.5.1-2

Palavras-chave:

Positivismo, Tradição, Escola do Recife, Tobias Barreto

Resumo

O presente trabalho possui como objetivo principal o resgate da tradição brasileira através da rediscussão da importância da obra de Tobias Barreto de Menezes. Como a maior influência do movimento da conhecida Escola do Recife Tobias é responsável pela introdução do germanismo no Brasil e por ter sido um crítico do pensamento Ecletista Espiritualista. Nesse sentido, sua crítica a uma proposta de Direito Natural acusa uma adesão parcial ao positivismo, porém, em outro momento de sua produção ele começa a produzir uma crítica ao que se tornou o positivismo no Brasil. Há, portanto, uma linha muito tênue entre esses dois argumentos que parecem ser uma mudança paradoxal de posição, quando na verdade é a manutenção de uma mesma posição

Biografia do Autor

Alberto de Moraes Papaléo Paes, UNAMA

Doutorando em Direito pela Universidade Federal do Pará (UFPA)
Mestre em Direito pela Universidade da Amazônia (UNAMA)
Graduado em Direito pela Universidade da Amazônia (UNAMA)
Professor Universitário na Universidade da Amazônia (UNAMA)
E na Faculdade Estácio de Sá – Pará (FAP-ESTACIO)

Publicado

19.07.2018

Como Citar

PAES, A. de M. P. Entre adesão parcial e crítica ao positivismo jurídico: A teoria e filosofia do direito em Tobias Barreto de Menezes. Jus Scriptum - Revista Jurídica do NELB, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 6–29, 2018. DOI: 10.29327/238407.5.1-2. Disponível em: https://jusscritum.pt/index.php/revista/article/view/45. Acesso em: 28 nov. 2021.