Primeira onda feminista brasileira e a luta pelo sufrágio

Autores

  • Glauciany Barbosa de Assumção Universidade Nova de Lisboa

Resumo

O presente trabalho tem como intuito realizar uma análise sobre a dinâmica da Primeira Onda Feminista do Brasil em busca da conquista do sufrágio ao longo das três primeiras décadas do século XX na então capital do país. Através de uma abordagem observacional, a partir do entendimento do interacionismo simbólico e considerando o conceito de género como categoria de análise histórica, será promovido um resgate de memória sobre importantes nomes para a construção da consciência feminista brasileira, como: Bertha Lutz, Maria Lacerda de Moura, Leolinda Daltro e Natércia da Silveira. Este olhar em busca das feministas sufragistas do passado carioca será lançado sobre uma bibliografia rica e sobre importantes revistas que circularam na cidade na época em questão, a saber: Revista da Semana, Revista Feminina, Para Todos e O Malho. Tendo como conclusões o pluralismo do movimento, podendo ser entendido, de forma simplificada, a partir de uma polarização de ideologias; a importância dos periódicos como agentes modificadores da mentalidade da sociedade em questão; as estratégias adotadas pelas organizações feministas em busca de representatividade e voz.

Referências

ALVES, Branca Moreira. Ideologia e feminismo. A luta da mulher pelo voto no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1980

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Fatos e mitos. 4. ed. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

CABRAL, Karina Melissa. Direitos da mulheres – de acordo com o novo Código Civil. São Paulo: LTD, 2004.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados. O Rio de Janeiro e a república que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987

DEL PRIORE, Mary. Histórias e conversas de mulher. São Paulo: Planeta, 2013.

DUARTE, Constância Lima. Feminismo: uma história a ser contada. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Pensamento feminista brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019.

DUARTE, Constância Lima. Imprensa feminina e feminista no Brasil: século XIX – Dicionário Ilustrado. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

HAHNER, June E. A mulher brasileira e suas lutas sociais e políticas: 1850 – 1937. São Paulo: Brasiliense, 1981.

KARAWEJCZYK, Mônica. (2018). O Feminismo em Boa Marcha no Brasil! Bertha Lutz e a Conferência pelo Progresso Feminino. Revista Estudos Feministas. Epub September 03, 2018.https://doi.org/10.1590/1806-9584-2018v26n249845

LÔBO, Yolanda. Bertha Lutz. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.

MALUF, Marina; MOTT, Maria Lucia. Recônditos do mundo feminino. In: NOVAIS, Fernando A. (coord.); SEVCENKO, Nicolau (org.). História da vida privada no Brasil. Volume 3. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MARQUES, Teresa Cristina de Novaes. Bertha Lutz. Série perfis parlamentares. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2016.

MARQUES, Teresa Cristina de Novaes. O voto feminino no Brasil. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2019.

MAUAD, Ana Maria. Flagrantes e instantâneos: fotografia de imprensa e o jeito de ser carioca na Belle Époque. In: LOPES, Antônio Herculano (org.). Entre Europa e África. A invenção do carioca. Rio de Janeiro: Topbooks/ FCRB, 2000.

PINTO, Céli Regina Jardim. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: editora Fundação Perseu Abramo, 2003.

RODRIGUES, João Batista Cascudo. A mulher brasileira: direitos políticos e civis. 2.ed. Rio de Janeiro: editora Renes, 1982.

SCOTT, Ana Silvia. O caleidoscópio dos arranjos familiares. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria. Nova História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexo, 2013.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise história. Tradução de Christine Rufino Dabat, Maria Betânia Ávila. New York, Columbia University Press. 1989

SEMÍRAMIS, Cynthia. A reforma sufragista. Origem da igualdade de direitos entre mulheres e homens no Brasil. Belo Horizonte: Busílis, 2020.

SEVCENKO, Nicolau. A capital irradiante: técnica, ritmos e ritos do Rio de Janeiro. In: NOVAIS, F. A. (coord.); SEVCENKO, N. (org.). História da vida privada no Brasil. Volume 3. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SOIHET, Rachel. Sutileza, ironia e zombaria: instrumentos no descrédito das lutas das mulheres pela emancipação. In: MURARO, Rose Marie; PUPPIN, Andrea Brandão (org). Mulher, gênero e sociedade. Rio de Janeiro: Relume Dumará: FAPERJ, 2001.

TELES, Maria Amélia de Almeida. Breve história do feminismo no Brasil e outros ensaios. São Paulo: Editora Alameda, 2017

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna. Teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Editora Vozes, 1995.

VELLOSO, Monica Pimenta. As distintas retóricas do moderno. In: LINS, V.; OLIVEIRA, C.; VELLOSO, M. P. O moderno em revista. Representações do Rio de Janeiro de 1890 a 1930. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

Publicado

15.06.2022

Como Citar

BARBOSA DE ASSUMÇÃO, G. Primeira onda feminista brasileira e a luta pelo sufrágio. Jus Scriptum’s International Journal of Law, [S. l.], v. 7, n. Especial, p. 79–112, 2022. Disponível em: https://jusscritum.pt/index.php/revista/article/view/108. Acesso em: 5 dez. 2022.